Sexta-feira, 13 de Maio de 2005

Afonso Leonardo - Indignação por professores

Que o ensino anda pelas ruas da amargura nós já o sabíamos e os números (do
analfabetismo, dos graus escolaridade, do abandono escolar, do insucesso,
dos resultados do PISA, da relação número de alunos por professor, entre
outros) não enganam. Que os sindicatos se tornaram extensões do ministério
da educação também não é novidade; que os mesmos estão completamente
desligados dos professores e da realidade do que se passa nas escolas
mostra-o o facto de ter deixado de haver delegados sindicais e de estarem
reduzidos às suas sedes, onde professores (quantos em todo o país)
destacados para o efeito recebem por inteiro os seus vencimentos; alguns
deles tornaram-se sindicalistas profissionais e nunca nas suas vidas deram
aulas. ‘Defendem’ uma classe à qual nunca pertenceram. Ao ministério da
educação dá jeito terem gente assim e por isso lhes paga generosamente. Às vezes vão às escolas onde afixam nas salas de professores alguma
literatura contestadora de medidas, reinvindicativa (cada vez menos),
anunciadora de um seguro ou de qualquer protocolo comercial com presumíveis
vantagem para aos associados, convidativa para um Seminário, Jornada ou
ocasional Palestra que dá direito a faltar às aulas e restante serviço para
o que nunca se esquecem de fornecer ao professor a minuta do pedido de
dispensa considerando o professor como indigente mental incapaz de redigir
tão simples pedido.
Mas a miséria a que chegámos pode aquilatar-se no convite feito pela
denominada “associação Sindical pró-Ordem dos Professores” aos professores
para participarem num seminário com o patético título “Dicas para ser melhor
professor(a)”, a realizar nos dias 11 e 12 de Maio em Lisboa. Sem comentários apresento os objectivos do dito encontro: «Como arrumar a sua sala de aula para facilitar a aprendizagem? Qual a
melhor postura a adoptar? Como colocar a voz? Como gesticular? Que gestos
devo evitar? De que cor me devo vestir? De que cor deve ser a sala de aula?
Como gerir conflitos? Que legislação disciplinar devo saber de cor? Como
relaxar os alunos antes da aula? Como auto-relaxar? É importante saber os
signos dos alunos para transmitir melhor a matéria? Se um aluno sofrer um
acidente que primeiros socorros devo saber? Como aplicar estas dicas na
escola e a mim?»
Que isto fosse possível, isso ainda não sabíamos.
Afonso Leonardo
publicado por quadratura do círculo às 13:19
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds