Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2005

José Oliveira - Análise do debate

Vencendo Santana Lopes claramente o debate, poucos esperavam que os
"fazedores de opinião" lhe atribuissem a Vitória.
Atente na última questão dos jornalistas:
"Eng. Sócrates o que é uma derrota para o PS? Dr. Santana Lopes que votação
minima para se manter lider do PSD?"
É o mesmo que perguntar a alguém com saúde se quer ser cremado ou sepultado.
Elucidativa a isenta informação!!!
Por respeito aos meus rapazes (10 e 16 anos) não vou gastar mais que três
linhas para comentar o assunto que roubou 15 minutos a temas tão importantes
como Educação e Saúde. Sejam os dois homenzinhos!
Chega de "Menos Ais" e vamos à análise dos protagonistas.
A postura agressiva, arrogante, rude, do Eng. Sócrates atingiu o climax
quando na declaração final não olhou uma única vez olhos nos olhos, os
Portugueses! Leu tele ponto ou foi problema de realização?
O rigor que nos prometeu dilui-se quando:
- Confundiu a necessidade de estágio e formação para quem aufere o Sub.
Reinserção Social com os reformados.
- Nãos se mostra aos pensionistas gráfico com subida de pensões quando se
lhes oferece como meta o "limiar de pobreza" no espaço de uma Legislatura.
Haja dignidade!
- Afirmou que Portugal era Campeão do desemprego quando a taxa é metade da
registada em Espanha e inferior em 2% à da Média Europeia.
- Repetiu "n" vezes as palavras Confiança e Mudança. Bem prega Frei Tomás
como verá no capitulo Coerência e análise Politica.
Quanto às alternativas para o País apresentou com ar gélido e dedo em riste
um conjunto de generalidades vagas e supérfulas.
- Solução para todos os males - crescer, crescer, crescer! Ainda nos transformamos todos em cabeçudos gigantones! Não se acusa a
Sociedade Civil de não ter capacidade para discutir temas fracturantes. Só os politicos possuem o dom infalivel da sapiência? Face a esta escuridão ideológica como compreender a luz que o "choque
tecnológico" nos oferece?!
- Perco o meu direito a Reforma antecipada (sabendo que sou penalizado
monetáriamente) e devo trabalhar até aos 65 anos?
Sr. Engenheiro tem que rever a sua fórmula Socraniana - saem 2 entra 1 -
porque assim corre o risco de - sai 1 entram 2 - paga-se a 3!
- Novos 150.000 empregos, 1000 gestores, 25.000 formação, 75.000 para a
Função Pública, mais 9000 fiscais para arrecadar 500 milhões (pensões), mais
100.000 (metade dos que Eng. Guterres admitiu) e pelo menos 40.000 para
falhas, prefaz o bonito total de 400.000 postos de "trabalho"! Reduz a taxa de desemprego a um valor equiparado à lotação do antigo Estádio
da Luz! Brilhante, grandioso, lindo!
Coerência e análise politica:
- O Eng. Sócrates já sabia que Santana Lopes assumia a responsabilidade de 3
anos de Governo. Esqueceu-se que após o "pântano" não se candidatou a
Secretário Geral do PS. Avançou argutamente quando após brilhante vitória
nas Europeias, o lider reforçado, se demitiu devido a "traição pessoal" do
Sr. Presidente da República.
Talvez por isso tenha esquecido o Dr. Ferro Rodrigues quando afirmou, no seu
partido, ninguém ter vergonha de aparecer na fotografia! Recordo que não o vi pedir eleições antecipadas face à "trapalhada" na
Remodelação Governamental. O seu timing politico apontava para as
Áutarquicas de 2005 confiando no voto de protesto e lento fritar da maioria!
A dissolução da Assembleia foi um pau com dois bicos. Viu-se de repente na
pele de "lider" da oposição dissolvido, cuja única acção politica visivel se
resumiu a: "Voto contra o Orçamento...Não descia o IRS"!
Ainda bem que o Dr. Vitorino regressou com veia poética para escrever o
Programa de Governo contrariando a ideia dos comentadores politicos na
altura quando diziam:" Não há alternativas crediveis. Não há oposição. O PS
não existe...". Que golpe de rins. Nota 10 à cambalhota! Finalmente a única altura em que esteve bem quando afirmou: "...Estou a ver que o Dr. Santana Lopes tem muito boas ideias para o País
mas porque não as aplicou quando governou?"
Não vou questionar o porquê de não ter proposto ao Dr. Ferro, ministro da
tutela, a aplicação da sua agora bandeira eleitoral pensão minima igual ao
limiar de pobreza (...) mas apenas revelar o ovo de Colombo: As eleições Legislativas seriam em Abril/Maio de 2006! Perdoe a animosidade que não tem nada de pessoal como é óbvio, mas detesto
injustiça e não pactuo com oportunismo e retirada de tapetes.
A confiança que solicitou não se quantifica. Ou se tem ou não. Que prova de fogo ganhou como lider? Que obra construiu para exigir Maioria
Absoluta? Seja humilde e se ganhar governe sozinho. Se cair serei o
primeiro a votar em si!
Desculpe a referência futebolistica mas como julgar Del Neri se o jogo
acabou a meio? Infelizmente os "jogadores" limitam-se a pôr a cruzinha em
cada 4 anos e inactivos esperam que o titulo lhes seja oferecido em bandeja
de prata. Para o bem de todos que Deus nos ajude!...
A análise à prestação do Dr. Santana Lopes é um imbróglio sentimental misto
"Zé das Galinhas" versús penalty a favor da minha equipa 10 metros fora da
àrea. Esqueça, por favor, a hipérbole línguistica mas o humor faz muita
falta na cinzentona e chata politica portuguesa!
Os portugueses ainda com uma galocha calçada, outra vez o raio do Pântano,
não concebem que em Democracia haja vencedores e vencidos.
Com este breve intróito inicio a minha análise á sua prestação.
- Quando recorreu a numeros, equivocou-se em alguns valores. Reveja com os
seus acessores. Andam distraidos!
- Não se mostra gráfico do desemprego com aqueles picos. Quem hoje não tem
trabalho não se consola com comparações do passado, seja qual for o autor. -Á confusão da formação de quem recebia Sub. Reinserção Social feita pelo
seu opositor retorquiu: "E porque não?".
Dr. Santana com aquela idade os "velhinhos" só podiam dar formação a muito
politico que adormece na Assembleia da República!
- Não utilize o termo "choque" seja ele tecnológico, de gestão ou valores. O unico choque que o Português admite sofrer é o que lhe salva a vida quando
sofre um AVC.
- Afirmar querer colocar Portugal no top 10 da Europa parece-me um pouco
como prometer colocar um Português na Lua no espaço de uma Legislatura. Um
pequeno passo de cada vez inicia uma grande caminhada.
- Quando se falou em Função Pública perdeu a oportunidade de se dirigir aos
professores com quem efectivamente cometeu uma "trapalhada".
Se a minha mãe, que após a morte de Sá Carneiro, nunca mais votou PSD me
confessou ir agora votar em si, que posso dizer da sua declaração final? Não pegue no lenço e limpe o queixo. A procissão vai no adro e como
observará a sua análise é bem mais curta que a do Eng. Sócrates e isso nem
sempre é bom sinal. Inicie uma corrente, defenda uma causa, estabeleça um
Designio Nacional claro e atingivel.
Estabeleça um pacto de regime com os Portugueses em que lhes ofereça
trabalho, saúde, educação e segurança!
Para o bem de todos que Deus o ajude!...
José Oliveira
publicado por quadratura do círculo às 18:57
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds