Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2005

Nuno Ferreira - Políticos todos iguais?

Esta é uma questão que, com certeza, merece a preocupação da classe política, e julgo que de todos os quadrantes.
Se calhar a resposta é mais fácil e óbvia do que parece à primeira vista. Qualquer Governo que esteja no poder, e independentemente da cor política, diz que a culpa da crise é do Governo anterior. A Oposição, que foi anterior Governo, diz que a Culpa é do Governo em posse. Andamos nisto há cerca de 30 anos. Sim, porque antes do 25 de Abril a culpa era sempre do mesmo, mas nessa altura não valia a pena reclamar.
Durante as campanhas políticas em vez de ouvirmos os candidatos a apresentar propostas concretas para resolver os problemas do país, apenas ouvimos ataques cerrados de um lado para o outro. (...)
É óbvio que enquanto não houver um Governo que tenha a coragem de trabalhar com os meios de que dispõe, admitir os erros que comete e fazer os possíveis por corrigir esses mesmos erros, vai ser difícil fazer com que o povo tenha confiança no Governo.
É óbvio que enquanto não houver uma oposição que, em vez de apenas criticar, responda com contrapropostas ao Governo, vai ser difícil fazer com que o povo tenha confiança na oposição.
É óbvio que enquanto os deputados tiverem o direito à reforma ao final de 8 anos de mandato, os portugueses contribuintes (patrões destes deputados) não vão andar satisfeitos com os seus “funcionários”. (Conheço quem tenha deixado de votar só por causa disto)
É óbvio que enquanto tivermos administradores de instituições públicas, já de si muito bem abonados, a receber fortunas quando vão para a reforma e os velhinhos reformados terem de se governar com 2 ou 3 dezenas de contos, claro que o povo desacredita.
É óbvio que o povo fica confuso quando vê o “país de tanga”, e os políticos a andar em carros topo de gama pagos pelos contribuintes, e os polícias muitas vezes terem de parar a meio das perseguições para apanhar bocados da viatura de serviço que se desintegrou a meio da perseguição e ainda serem responsabilizados por isso.
É óbvio que os portugueses ficam confusos porque ninguém explica para que servem dois submarinos, a não ser que o Governo esteja com intenções de financiar algum filme de cinema de submarinos, e cujas receitas extraordinárias de bilheteira servirão para ajudar a conter o défice.
Quando surgirá uma equipa de políticos que marque a diferença; que peça desculpa aos Portugueses pelos erros que comete; que tenha a coragem para colaborar com os restantes partidos para se encontrar uma saída para a crise?
Nuno Ferreira




publicado por quadratura do círculo às 17:31
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds