Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2005

Pedro Carvalho - Votar porquê?

É engraçado verificar os títulos e os assuntos relatados nas opiniões manifestadas neste blog:
Exemplo Nórdico (Sueco)
Mediocridade, abusos de poder
Reformar classe política
.......
Um gestor neo-liberal, (cheio de energia), diria “vamos inverter esta tendência nostálgica. Temos que ser positivos, mesmo perante a desgraça”.
Que a realidade não nos torne ingénuos.
Que armas temos para lutar e contrariar esta tendência?
O País foi e será governado pelo PS ou PSD. E há muitos anos sempre os mesmos.
Escolham:
1- Sócrates/Ferro/Gama/Coelho/Guterres/...
2- Santana/Durão/Mendes/Sarmento/...
Sem falar nas equipas que os rodeiam. Sem falar nas autarquias (não há um blog sobre as autarquias?). Sem falar nas jotas.
Há razões para António Vitorino e Marcelo Rebelo de Sousa não estão na liderança política.
A solução não passa pelas eleições. Nem, ainda, por votar nos Bloco de Esquerda. Continuarão os mesmos a governar o Pais. De 4 em 4, ou de 2 em 2 anos.
O que poderá mudar o País (governo e governados)?
O gestor neo-liberal diria, apenas e só, as novas gerações. Mas, estejamos atentos. Já notaram as tendências dos jovens? Egoísmo, materialismo, inconsciência. Sem dúvida (na generalidade) mais aptos, viajados, libertos, egoístas, insensíveis, estereotipados.
Não voto há 10 anos. Em plena consciência da utilidade (diminuta, que seja) dessa atitude.
As eleições Europeias são as que progressivamente menos adesão têm. As pessoas (60%, 70% dos europeus?) não votam porque não reconhecem utilidade e efectividade no voto.
A comunicação social e algumas (poucas) pessoas que se dão ao trabalho de emitir opiniões deveriam apelar à ausência nas urnas. Apele-se ao voto no isolamento dos políticos e das suas equipas.
Quando votarem apenas os 5% dos directamente interessados na política, poderá haver alguma esperança.
Eles terão que sentir vergonha. Já em 20 Fevereiro.
Sendo o défice igual a 1% estaríamos melhor do que estamos?
Os políticos não seriam os mesmos?
O modelo liberal Americano não continuaria a alastrar?
Em 2050 teremos défice, venceremos a deslocação das empresas, o nível educacional médio será superior, viveremos melhor connosco e com os outros?
Pedro Carvalho
publicado por quadratura do círculo às 19:23
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds