Segunda-feira, 25 de Outubro de 2004

Nelson Henriques - Comentadores políticos

São cada vez mais os chamados “comentadores” e/ou “colunistas”, que escrevem e falam na Rádio e na Televisão sobre os mais variados temas (políticos, económicos, sociais, etc), que “escondem” sob o titulo de advogados, economistas, professores universitários e até jornalistas, quando na realidade o que são - e sobretudo de onde partem para escrever e falar - são políticos, muitos com responsabilidades partidárias, que defendem posições politicas, legitimas concerteza, mas porque “encapadas” sob o um qualquer titulo académico ou pseudo “especialista”.
Trata-se de uma forma habilidosa, mas um pouco saloia, de tentar iludir os leitores, ouvintes ou espectadores, com a conivência e a cumplicidade dos titulares desses órgãos de informação ou dos seus responsáveis editoriais.
São muitos os exemplos que aqui poderia citar, que são públicos e notórios, mas deixe-me referir-lhe dois, que por serem protagonizados por dois “jornalistas” têm maior importância, neste contexto ético.
Refiro-me a Luís Delgado e a Mário B. Resendes, dois ex-jornalistas e responsáveis pelo Diário de Noticias, hoje ambos administradores executivos da PT Multimédia, proprietária de vários órgãos de informação, que continuam a escrever e a comentar sob a capa de “jornalistas” escondendo a suas actuais funções.
Porventura pretendem passar a imagem de que continuam a ser “apenas” jornalistas – distantes e isentos, especialistas em comentários politico e sociais – quando na realidade, de onde se situam é sobretudo da perspectiva politica, dos interesses do seu grupo editorial, das suas relações e dependência com o governo actual e naturalmente da defesa dos seus interesses pessoais.
São aliás bem conhecidas as tendência politicas de LD e a “ferocidade” com que defende o Governo e em particular o Dr. Santana Lopes.
Esta situação que também recentemente foi abordada no DN pelo Prof. Costa Pinto, é na minha opinião preocupante, pois não se passa somente nos jornais, mas passa-se também na Televisão, inclusivé na SIC e em particular nas SIC Noticias, onde também ambos são “ comentadores políticos” .
Esta “promiscuidade” não se passa apenas nos órgãos de informação controlados pelo Governo, mas infelizmente também ocorre nos órgãos de comunicação privados.
São apenas “relações perigosas” ou são “entendimentos estratégicos” com vista a preparar futuros negócios ?
Naturalmente que o assunto não se esgota nos dois exemplos acima . Existem muitos mais.
Estes são ainda mais relevantes e eticamente condenáveis, por exactamente partirem de dois importantes jornalistas, que, muito pelo conteúdo dos seus comentários, chegaram a administradores da PT Multimédia.
A isto chama-se : Vender gato por lebre.
O efeito desejado por vezes é perverso, como já muitos notaram.
Nelson Henriques
PS – O formato de “A Quadratura do círculo” deveria ser um exemplo a seguir.
Assim ninguém se queixaria do contraditório nem da falta de transparência.
Cada um assume o seu papel e a defesa das suas convicções, o que é salutar. Parabéns!


publicado por quadratura do círculo às 19:10
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds