Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2004

Mapas mentais (R. do Carmo)

Bom dia
Um interessante tema de discussão, num mundo cada vez mais globalizado, mas no qual, talvez por isso mesmo, as diferenças culturais parecem cada vez mais agudas, é o dos choques civilizacionais e dos conflitos que estão associados às zonas onde essas civilizações se encontram.
Parece-me que, demasiadas vezes, se faz uma leitura ideológica de alguns conflitos, utilizando um mapa mental desadequado e que leva frequentemente as forças ditas de esquerda a mostrar-se tacitamente do lado de quem confronta a civilização ocidental, mesmo que os seus valores estejam nas antípodas dos que a esquerda defende.
Não é fácil compreender os conflitos balcânicos à luz dos mapas ideológicos que nos serviram para ler o mundo até à queda do imperio soviético.
Não se pode compreender o conflito israelo-árabe a essa luz, como faz alguma esquerda que arruma sucintamente os opositores em conflito em opressores ( capitalistas, sionistas, imperialistas, etc) e oprimidos ( os palestinianos), sem perceber que o que está em causa não tem nada a ver com isso, mas sim com profundas diferenças civilizacionais.
Os valores da esquerda são valores também eles forjados no cadinho da civilização ocidental. A esquerda, tal como a conhecemos, só existe em países que partilham os valores do ocidente, pelo que pôr em causa a civilização ocidental parece ser uma atitude ideologicamente suicida.
Não lhes parece que o mundo se explica melhor tomando como actores os ortodoxos, cristãos, muçulmanos, japoneses, chineses (neles se englobando todos os países que gravitam em torno da China), indianos, africanos, judeus, etc, do que o capitalismo, o socialismo e outros ismos ideológicos ?
A China, ainda com o lastro do comunismo, é na verdade um país fortememente capitalista, mas o seu carácter é sobretudo determinado pelos milenares valores confucionistas que radicam profundamente na história.
O Japão, capitalista e democrático, governa-se com um sistema que pouco tem a ver com o nosso formalismo democrático.
A Índia, capitalista e democrática, tem as castas e não interage de igual forma com o ocidente e durante muito tempo foi aliada do bloco soviético.
O facto de a Grécia ter apoiado os sérvios no conflito bósnio tem única e exclusivamente a ver com o facto de partilharem os valores ortodoxos.
Bin Laden ataca o ocidente, não por ser capitalista, ou imperialista, mas sim por questões culturais e religiosas, ou seja, civilizacionais. E também atacou os soviéticos no Afeganistão justamente pelas mesmas razões.
Não estará na altura de desdobrarmos novos mapas mentais ?
R. do Carmo
publicado por quadratura do círculo às 13:27
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds