Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Paulo Loureiro - Contribuições dos bancos

No meio de um orçamento que tem de ser analisado como um todo, aquilo que está sabiamente a ser realçado é o aumento das contribuições dos bancos. A medida é vergonhosa, não porque desnecessária, mas porque tem uma natureza puramente populista, carregada de demagogia e que vai ter o resultado exactamente contrário, já que, como todos sabemos, os bancos mexem em meia dúzia de taxas e recuperam tudo a dobrar, sem que ninguém pie na TV. Claramente, é uma medida de alavancagem ou tentativa de alavancagem de votos para o segundo mandato! A actividade bancária é vergonhosa na única parte que lhe cabe, como alavanca para o desenvolvimento do país, estando quase completamente concentrada na habitação, consumismo e prática de taxas de juro vergonhosas, que fazem tudo menos ajudar ao desenvolvimento do pequeno e médio comércio, principalmente na vertente de exportação. Se assim não fosse, não era necessário recorrer aos subsídios, como hoje acontece, com estes a substituírem os empréstimos. Hoje, os bancos vendem dinheiro a juros astronómicos, usam de tácticas de risco zero e juro alto, emprestam dinheiro com despesas de contrato pagas à cabeça que chegam a 15% do valor do empréstimo (faz lembrar o período pós-revolução), ignoram pedidos de informação de clientes quanto a operações de venda por Internet e leasing, vendem carros em concorrência aparentemente desleal com o mercado, vendem livros, prata, ouro, medalhas, cristalaria, hi-fi’s, e outras coisas de pôr os cabelos em pé. Comerciantes vêem liminarmente negados (de imediato) pedidos de empréstimo para aquisição de maquinaria para o seu negócio, não sem receberem, antes de sair do banco, propostas de empréstimo para aquisição de automóveis. Tudo bons exemplos de como plantar a destruição do futuro seguindo a via mais fácil. Mas há muito mais, que nem Sócrates nem o amigo do Banco de Portugal vêem! A obrigação dos comerciantes aderirem aos termos dos contratos de adesão para pagamento remoto com terminais multibanco é um exemplo do que há de mais pernicioso na nossa sociedade (eu chamo-lhe “assalto legalizado”), com os bancos ou outras entidades a cobrarem, não pela operação de transacção, mas como comissionistas, à percentagem, constituindo-se, arrogantemente e em abuso descarado, como participantes em negócios de que não são parte, com taxas (ganhas instantaneamente) que são mais ou menos iguais à taxa de juro que pagam pelo dinheiro que pedem no estrangeiro, ao ano! Aqui, devia mexer-se, riscar-se ou mesmo martelar com força! Mas não dá tantos votos. Engraçado é que empresas como a PT (participadas pelo Estado e, portanto, tuteladas por este mesmo Governo) consolidam prejuízos do Brasil com lucros de Portugal (consta que sim, mas custa a acreditar que seja possível) e pagam zero ou quase zero de IRC. O sinal é mau, e dá a ideia que alguém pretende tapar o sol com a peneira, iludir outrem, ou tudo ao mesmo tempo. O tempo o dirá, sem nunca esquecer que, no final de tudo, o lucro real vai ser a diferença entre os resultados esperados e o custo de poder viajar num novo comboio. Curiosamente, tudo isto é implementado debaixo de um plano cheio de preocupações de justiça, como atesta de forma indubitável o caso do centro materno-infantil e do hospital pediátrico da cidade do Porto, acabados de assassinar para que mais alguém possa construir um novo edifício transparente ou ver o “Chico Fininho” a cantar ópera na Casa da Música. Se a isto adicionarmos o conteúdo da entrevista de Bagão Félix sobre a barragem e sobre as comparações dos índices económicos deste ano com os do ano passado, depois da conveniente alteração dos critérios que fizeram desaparecer custos de algumas rubricas (déjà vu, em “taxa de desemprego recalculada”, por computador reprogramado), só podemos esperar que o ex-ministro esteja a mentir muito descaradamente, não vá dar-se o caso de a verdade se confundir com a realidade de um país surrealista.
Paulo Loureiro
publicado por Carlos A. Andrade às 18:54
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De amaliasalazar a 29 de Novembro de 2006 às 23:15
não diz respeito ao artigo mas.
senhores digam-me pois isto me inquieta.
em Portugal todos devemos ser diplomado .
vivemos em função da Europa e do mundo.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

não diz respeito ao artigo mas. <BR>senhores digam-me pois isto me inquieta. <BR>em Portugal todos devemos ser diplomado . <BR>vivemos em função da Europa e do mundo. <BR class=incorrect <a name="incorrect">desaparecerao</A> </A></A></A>os electricistas e pedreiros . <BR class=incorrect <a name="incorrect">so</A> </A></A></A>haverá doutores e o trabalho quem o vai fazer? <BR>TODOS OS PAÍSES ESTÃO A pedir A SUA ESPECIFICIDADE MAS aparentemente o pais que esta sempre em ultimo nas sondagens o nosso deixou de ter especificidades e é uma Maria vai com as outras então ..... já não temos carácter ou somos demasiado hipócritas . <BR class=incorrect <a name="incorrect">deixaem</A> </A></A></A>se dessas coisas pois se a roda voltar do outro lado qual vai ser a vossa solução ,,,<???pois em todo caso e na <a name='incorrect' class='incorrect' <a name='incorrect' class='incorrect' <a name='incorrect' class='incorrect' <a name='incorrect' class='incorrect'>europa</A> </A></A></A>somos os únicos a acreditar nos outros sem defender os interesses do nosso povo....num pais onde todos são doutores ...isso demonstra ignorância .. pois cada pais puxa a brasa à sua sardinha menos Portugal ... desculpem ... Portugal não ..os nossos políticos da treta. <BR>a franca maçonaria esta mais que de passada mesmo em França , todos os povos europeus estão lutando pela sua especificidade e unidade e no porto do galo se fala de mundialização e globalização ...coisas da nova ordem mas a nova ordem esta chegando ao principio da sua decadência e e e depois .... não estamos em atraso temos políticos retardado e retardados mentais .. não se pode falar de globalização sem antes se falar de especificidade e como adaptar algo global à própria especificidade ... será que é para dizer tanta parvoíces que estudamos e que temos que ter esses pretensos diplomas...a que serve um diploma sem trabalho...para que serve um diploma de engenheiro para acabar pedreiro...é verdade vocês são como a minha amiga Alice ...vivem no pais das maravilhas então façam-me um favor à Amália abram os olhos e pensem mais no vosso povo antes de pensarem nos outros .. seja o que for. <BR>A globalização foi inventada por nos ...à mil anos atrás e parece que ... descobriram a pólvora ... senhores deixem de ser filósofos ..deixem-se de ideias socráticas ... deixem nos de comer e trabalho e viveremos felizes para sempre. <BR>beijos da vossa Amália .


De Feios Porcos e Maus a 15 de Dezembro de 2006 às 12:07
Maria José Morgado para chefiar o caso Apito Dourado
Esta tem piada !

Tem piada o facto da Dra aceitar esta missão e tenho pena que a aceite.

De facto ao aceitá-la ela vai dar emprestar mesmo dar a sua credibilidade aos Politicos Deste País que a propuseram e ou a nomearam... quando eles mesmo não têm credibilidade nenhuma. Como é possível termos chegado a este ponto - não sei.

Sei que ela vai fazer um trabalho criterioso e honesto mas vamos a ver até onde a deixam ir e se isto não é mais um artificio da nossa desqualificada classe politica para queimar uma das poucas pessoas honestas e profissionais deste país.

A ver vamos ! Se o caso chegar ao fim e se esvaziar - de per si - em que situação não ficará a Dra ? Pois não nos podemos esquecer da máfia reinante e circulante à volta e dentro do futebol. A Reinante de alguns para não dizer de todos os clubes pelo menos da suspeita não se livram, e da circulante , nomeadamente Partidos seus agentes nacionais e regionais e claro sempre sempre os patos bravos.

Os partidos porque querem projecção pública e não se arrogaram e arrogam em gastar mais uns bilios de eutros se for necessário para fazerem mais uns estádios os patos porque os constroem com grossas contrapartidas imobiliárias especulativas pois o valor do m2 das construções não deveria de ser superior ao valor da sua reconstrução tendo por base o valor seguro das mesmas ... tudo o mais é pura especulação e o zé que pague ... mas existe um pacto entre os construtores e as Camaras e os Governos .... pois quanto mais caras mais Impostos estes recolhem e quem paga isso tudo é o consumidor ... vulgo Zé ou antes Zézinhos ou antes tótós.... A isto acresce os chorudos sacos azuis dos Partidos e das empresas que suportam estes partidos existe uma economia paralela e não é a da Bica ou similar que ao fugir com 25% da facturação aqui e ali que conspurca o sistema o que conspurca o sistema é a impunidade de todos os agentes apontados que provavelmente reciclam muitas dessas verbas nos bancos ... e como existem telhados de vidro todos se protegem uns aos outros . AOs bancos é-lhes dada impunidade fiscal são "seres" superiores que pagam menos taxas de imposto sobre os seus crescentes e chorudos lucros aplicando a captação depositária para emprestarem sempre aos mesmos, muitas das vezes aos seus grandes accionionistas e ou às empresas que tal ou tal pertencem de uma forma ou de outra aos Administradores/accionistas dessas Instituições financeiras.... daí a concentração das fortunas sempre nos mesmos e cada vez mais ... aos outros ao Zé só emprestam com Garantias Reais e Melhor ainda se com um Bom Seguro de Vida que garanta o Capital em Divida .... Os depósitos dos cidaddãos dos pequenos depositantes só dão "trabalho" daí cobram-lhes despesas por tudo e por nada .... Tnho pena é que os depositantes continuem a lá pôr os seus tostões e não fiquem com eles em casa ... havia de ser bonito se todos os pequenos depositantes quisessem levantar o seu dinheiro no mesmo dia ..... ou mesmo durante uma semana... essas trutas até estremeciam e talvez então tivessem de ir a uma instituição qualquer estrangeira pedir emprestado e se lhes fosse exigido como caução as casas, as propriedades e acções e obrigações e um bom seguro de vida que lhes cobrisse e garantisse a divida constituida.... Parvos somos nós que de+positamos o nosso Dinheiro nos Bancos para cada vez mais sermos roubados enganados e apoiarmos o crescimento destes saca-vidas.

E por agora mais não digo....



Boa Sorte Dra.... vá até ao fundo ....não se deixe intimidar extermine a palhaçada....



Comentar post

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds