Quinta-feira, 23 de Março de 2006

Fernanda Valente - Políticos e cidadãos

Não admira que os índices de abstenção em eleições sejam sempre bastante elevados. Lisura e transparência não têm sido as notas dominantes no diálogo entre os políticos e os cidadãos. O actual Presidente da República, ao ter enunciado a sua candidatura como suprapartidária, deixou cair por terra algumas dúvidas que ainda subsistiam quanto ao seu envolvimento emocional com o partido social-democrata, e cuja presença se torna agora evidente através das disposições que tomou quanto à nomeação da sua competência, dos cinco cidadãos a conselheiros de Estado, todos eles políticos, todos eles conotados ideológica e/ou partidariamente com o PSD. Para trás, esquecidos, ficaram a sociedade civil, o mundo das letras e das artes e aquela minoria representativa de 7,57 % da população portuguesa que acrescida de uma outra minoria de número aproximado, preenchem o total de 22 deputados na Assembleia da República, vezes uns largos milhares de cidadãos eleitores que não votaram PS, muito menos PSD e decididamente não CDS/PP que, por acaso, e de uma forma inaudita irá ter voz activa no dito órgão político que é o Conselho de Estado.
É claro que estas minorias partidárias não pouparam elogios à candidatura presidencial ganhadora aquando da campanha eleitoral, apesar de terem observado, de uma forma regrada, os preceitos protocolares da tomada de posse. No entanto, um Presidente que se avoca de todos os portugueses, deveria de uma forma exemplar, seguir a via da indulgência, como convem ao mais alto magistrado da Nação, mesmo porque estamos na presença de um extracto social com algum peso no tecido produtivo do nosso país, suportado por um dos sectores mais sensíveis desse espectro laboral , o sindical, sendo, pois, de toda a conveniência evitar fustigar essa classe que mais directamente se encontra sujeita às consequências resultantes da precariedade do emprego, sob pena de a cooperação estratégica com o Governo anunciada pelo Presidente dar lugar a um ensaio fracturante de governance entre estes dois órgãos de soberania.
Fernanda Valente
publicado por quadratura do círculo às 19:57
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Carlos Andrade - Suspensã...

. Teste

. João Brito Sousa - Futecr...

. Fernanda Valente - Mensag...

. António Carvalho - Mensag...

. João G. Gonçalves - Futec...

. J. Leite de Sá - Integraç...

. J. L. Viana da Silva - De...

. António Carvalho - Camara...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds